Autor Tópico: A Ordem para matar continua  (Lida 2137 vezes)

Offline APA

  • Mensagens: 9
  • Popularidade: +0/-0
    • Ver Perfil
A Ordem para matar continua
« em: Novembro 27, 2003, 08:08:06 »
Nota de Imprensa!



A Ordem para Matar continua.



Apesar de toda a indignação motivada pela Ordem de Serviço da Câmara Municipal de Torres Vedras, assinada pelo próprio Senhor Presidente da Câmara, onde se determina, numa linguagem pouco clara, a “Redução” de duzentos canídeos, a uma cadência de quarenta por semana, a ordem para matar ainda não foi revogada.
Ainda está portanto em vigor.
Apesar de sempre negarem as evidências e de nunca nos terem conseguido explicar o que pretendiam com a referida “Redução”, está agora muito claro que ela foi empregue de forma eufemística, porquanto o que se pretende é tão só matar, abater, executar, exterminar…
Tudo por razões de alegada falta de espaço e de disponibilidade orçamental, que, conforme se pôde verificar através da larga cobertura noticiosa dada pela esmagadora maioria da comunicação social escrita e não escrita, não corresponde minimamente à verdade.
Querem agora “vestir a pele do cordeiro”, “mandar-nos areia para os olhos”, enfim, enganar a opinião pública.

Estamos convictos que se os pobres animais votassem, reclamassem e/ou se pudessem manifestar, tudo se passaria de forma bem diferente.
Importa não deixar cair o problema no esquecimento, porque, se tal acontecer, tudo vai voltar ao início, os animais vão voltar a ser abatidos indiscriminadamente, o Canil Municipal vai ser de novo o matadouro municipal que Torres Vedras deixou de ter à anos atrás.
Para tal, contamos com o apoio de todos Vós comunicação social e de toda a população em geral.
Ajudem-nos!
Agora que denunciámos toda esta situação insustentável, agora que conseguimos granjear a antipatia do poder autárquico instituído e nalguns casos, até a arrogância e a prepotência de quem se julga senhor da verdade absoluta, ajudem-nos.
Importa agora continuar o trabalho desenvolvido por esta Associação ao longo dos já vinte e dois anos que tem de vida, na defesa intransigente dos direitos mais elementares dos animais, como é o direito à vida.
O abate, a ser feito, tem de ter razões objectivas e casuísticas, nunca aquelas que foram invocadas para um abate generalizado.
Pretendemos convocar a imprensa numa conferência para Vos darmos conta do nosso trabalho.
Para isso e porque esta Associação ainda não dispõe de sede social própria, solicitámos, através de fax datado de 2003.11.19., à Câmara Municipal a disponibilização de uma sala do Canil Municipal para o efeito.
Para nosso espanto ou talvez não, o pedido foi-nos negado, através de resposta datada de 2003.11.21.
Depois venham com a maior desfaçatez dizer que querem colaborar na resolução do problema, que estão de boa fé, que nunca quiseram abater os animais.
Ora se as acções são no sentido diametralmente oposto ao das afirmações produzidas quando as câmaras e os microfones estão por perto, quem é que pode acreditar nas pretensas boas intenções da Câmara?
O nosso muito obrigado a toda a comunicação social, aos Deput. Municipais Sérgio Ribeiro Jacinto e Pedro Castelo, à Associação JAVA da Lourinhã, à nossa sócia Carla Dinis, bem como a toda a população em geral, que, de forma abnegada e sensível, nos ajudaram a denunciar e a tentar resolver esta situação.
Em nossa opinião, o Canil Municipal não pode ser um simples matadouro.
Tem que ser encarado numa perspectiva estratégica, como ponto de encontro entre quem pretender desfazer-se dos seus animais e quem pretender adoptar um deles.
Sempre pugnámos por isso.
Todas as acções de sensibilização nunca são demais, face à dimensão do problema.
Estamos abertos a todas as soluções que não passem pelo abate indiscriminado.
Actualmente, o abate tem sido feito de forma mais regrada e casuística.
As Associações de Caçadores deixaram de ir despejar cães ao canil.
Também isso nos preocupa, pois se já não os entregam lá, o que lhes fazem?
Será que os matam no meio do campo com um tiro na cabeça?
Queremos acreditar que não, pois afinal somos seres humanos, racionais e o cão é o nosso melhor amigo.
A questão do abandono dos animais em Portugal é bem revelador do nosso desenvolvimento cultural e educacional, da nossa falta de sensibilidade para a questão dos animais, entre outras, bem patente nas soluções encontradas por alguns dos nossos políticos.
É por essas razões que, nos indicadores positivos, aparecemos sempre na cauda da Europa.
Apesar de todo o nosso trabalho ser desenvolvido numa plataforma em regime de exclusivo voluntariado, não podemos calar-nos e baixar os braços enquanto as coisas se passarem assim.
Nesta mesma data, serão enviadas missivas às Embaixadas dos Reinos de Espanha e da Holanda, à da República Francesa e aos órgãos das Instituições da União Europeia em Portugal, para que, numa perspectiva de “best manegement”, seja denunciada toda esta situação, nos ajudem a resolvê-la e nos possam ensinar como resolvem o problema nos seus países, disponibilizando-nos os contactos das nossas congéneres nesses países para que possamos desenvolver acções comuns.
Quem é eleito e pago para resolver este e outros problemas, não o faz.

No Protocolo que tivemos o ensejo de assinar com a Câmara Municipal de Torres Vedras para a gestão do Canil Municipal, está bem explícito que é esta Associação que está incumbida de promover a adopção dos animais.
Isto não invalida que outros o façam também, nomeadamente a Câmara, pois o Protocolo não lhe veda essa possibilidade se, como afirmam, também estiverem interessados na resolução do problema.
Não temos, nem pretendemos ter nenhum regime de exclusividade ou protagonismo à custa da vida dos animais.
Até à data só nós promovemos, com sucesso, a adopção de animais.
Essas adopções já totalizam, nesta data, noventa e cinco animais, dos quais dez foram resgatados pelo canil Municipal de Castelo Branco, quatro pela Sociedade Protectora dos Animais de Lisboa, dois pelos De****dos Municipais Sérgio Ribeiro Jacinto e Pedro Castelo, sendo que os restantes o foram por particulares de dentro e de fora do concelho de Torres Vedras.
Temos recebido diversos telefonemas e mensagens de todo o país.
Estivemos à entrada do supermercado Modelo de Torres Vedras, a promover a adopção de cães do canil, nos dias 8 e 11 de Novembro p.p.
Vamos estar presentes na Feira da “Exposalão”, Batalha, nos dias 6, 7 e 8 de Dezembro, para ali fazermos o mesmo.
Estamos no Canil, com as nossas voluntárias todos os dias, como sempre, promovendo a qualidade, a higiene e o bem-estar dos animais, com especial incidência em todas as manhãs de terça e de sexta-feira, dias da presença do senhor Veterinário Municipal.
Também estamos presentes na Internet, através do nosso site www.apa.pt.vu      
No site da Câmara Municipal, em www.cm-tvedras.pt, também marcamos a nossa presença, com as fotografias e a descrição de alguns dos cães que temos para adoptar.
O número de sócios não pára de aumentar, tendo sido feitos trinta em três semanas, pelo que neste momento a Associação já é composta por novecentos associados.
Finalmente, com o parecer recentemente emitido pela Câmara Municipal, já poderemos iniciar todo o processo burocrático junto da Presidência do Conselho de Ministros, conducente à obtenção do Estatuto de Instituição de Utilidade Pública, permitindo-nos, dessa forma, efectuar uma melhor abordagem junto do sector empresarial, já que, assim, poderão obter mais e melhores benefícios fiscais, através do Estatuto do Mecenato, com as ofertas que nos pretendam fazer.
Continuamos serenamente à espera que a Câmara nos disponibilize o terreno já atribuído em Fevereiro do corrente ano, para aí construirmos o nosso próprio Canil/Gatil, com todas as vantagens daí advenientes para o bem-estar dos animais.
Os donativos de particulares não param.
O apadrinhamento de animais que consiste no pagamento de cinco Euros por mês e por animal, a fim de ajudar a alimentá-lo, ficando este à mesma à guarda desta Associação, no Canil, por falta de condições de quem o pretenda eventualmente adoptar, também tem sofrido um grande incremento, existindo neste momento mais de cem cães apadrinhados.
Recebemos diversos contactos telefónicos de uma entidade similar aos “Médicos sem Fronteiras”, mas neste caso de veterinária, com sede em Odeceixe (Odemira), que pretende vir a Torres Vedras esterilizar vinte dos cães e quarenta das cadelas existentes no Canil Municipal, num total de sessenta animais, enviando-os posteriormente e a suas expensas para a República Federal Alemã, onde os animais não são abandonados, nem abatidos.
Para esse efeito, aquela entidade informou-nos que já havia disponibilizado cerca de três mil Euros.
Ficámos muito sensibilizados, ao lermos no Jornal “emFrenteoeste” da passada quinta-feira, dia 20 de Novembro, citando como fonte o Departamento de Ambiente e Serviços Urbanos da Câmara Municipal de Torres Vedras, na pessoa do Senhor Vereador do pelouro, que, “sessenta canídeos estão na iminência de ser transferidos para uma clínica de Lagos, pertença de um Alemão defensor dos animais”.      
Esta Associação não tem qualquer conhecimento de tão abnegado gesto de solidariedade com os canídeos de Torres Vedras, estando, no entanto, completamente disponível para, caso solicitada, ajudar à transferência dos mesmos.  
Na próxima quinta-feira, dia 27 de Novembro, iremos entregar na Câmara Municipal de Torres Vedras mais de quatro mil assinaturas recolhidas nesta cidade de Torres Vedras, a nível nacional e mundial, através da Internet, com origem numa petição iniciada no Reino da Holanda, com o objectivo de vermos, de uma vez por todas, a terrível Ordem de Serviço ser revogada.
Nesse sentido, estão todos, desde já convidados para testemunharem este nosso acto cívico, em prol da vida e do bem-estar animal, no fundo a nossa única razão de ser enquanto Associação.

Vamos continuar a trabalhar com a ajuda e a colaboração de todos Vós!

Mais uma vez o nosso muito obrigado.





Torres Vedras, 24 de Novembro de 2003.




Com os melhores cumprimentos,



A Presidente da Direcção,


_______________________
(Olinda Dias).





« Última modificação: Dezembro 04, 2003, 08:38:45 por APA »


 

Offline Sérgio Ribeiro Jacinto

  • Mensagens: 101
  • Popularidade: +0/-0
    • Ver Perfil
A Ordem para matar continua
« Responder #1 em: Dezembro 11, 2003, 09:31:36 »
Depois de ler atentamente esta Nota de Imprensa, há uma dúvida que ainda subsiste:

Passado todo este tempo, a Ordem de Serviço já foi ou não revogada?

Obrigado.

Sérgio Ribeiro Jacinto.
« Última modificação: Dezembro 11, 2003, 09:32:19 por Sérgio Ribeiro Jacinto »
 

Offline APA

  • Mensagens: 9
  • Popularidade: +0/-0
    • Ver Perfil
A Ordem para matar continua
« Responder #2 em: Dezembro 29, 2003, 09:24:36 »
Bom, revogada parece não estar e provavelmente não estará.

Contudo, decorrido o tempo da pergunta, sem que tenha obtido qualquer resposta, ela já deverá estar é caduca.

Obrigado.

APA.
quote:
Mensagem original por Sérgio Ribeiro Jacinto

Depois de ler atentamente esta Nota de Imprensa, há uma dúvida que ainda subsiste:

Passado todo este tempo, a Ordem de Serviço já foi ou não revogada?

Obrigado.

Sérgio Ribeiro Jacinto.