Autor Tópico: Debate sobre Direitos dos Animais - 26 de Março  (Lida 5934 vezes)

Offline Zé do Boné

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 430
  • Popularidade: +0/-0
    • Ver Perfil
Re:Debate sobre Direitos dos Animais - 26 de Março
« Responder #15 em: Fevereiro 24, 2011, 13:57:23 »
Não retiro importância ao tema dos direitos dos animais, mas nos tempos em que vivemos acho que se deveria dar mais importância aos direitos humanos e depois pensar nos restantes animais...
Parece-me...

Sim tem uma certa razão, mas há que ter em conta que os seres humanos são os principais culpados por toda a porcaria e males que existem no nosso planeta...
Como tal, na minha perspectiva há que defender são os animais que sofrem as consequências do excesso de direitos humanos...
A liberdade de cada um, começa onde acaba a do próximo.

Offline rogeriopaulo

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 1158
  • Popularidade: +3/-0
    • Ver Perfil
Re:Debate sobre Direitos dos Animais - 26 de Março
« Responder #16 em: Fevereiro 25, 2011, 21:57:12 »
Zé, e os vegetais, enquanto seres vivos, também não terão direitos? São seres vivos, e arrancá-los da terra é tirar a vida também aos vegetais.

André , por vezes não sei quando é que estás a brincar e quando falas a sério .

Sou contra qualquer tipo de violência sobre os animais , sou contra as touradas ...não gosto .....
Mas tenho algumas reservas sobre alguns comentários aqui feitos , acho exagerado colocarem no mesmo patamar os direitos humanos e os dos animais .
Isto é o que penso ...até " aceitaria " as touradas desde que não espetassem aqueles ferros no touro e desde que não houvesse touros de morte ( ou seja , touradas sem violência nenhuma ...).
Violência gratuita , nunca .


Cumprimentos ,


Rogério

O melhor amigo , não é aquele que nos faz rir com mentiras , mas sim , aquele que nos faz chorar com verdades .

Offline André Martins

  • Hero Member
  • *****
  • Mensagens: 2271
  • Popularidade: +0/-0
    • Ver Perfil
Re:Debate sobre Direitos dos Animais - 26 de Março
« Responder #17 em: Fevereiro 28, 2011, 19:36:06 »
Obviamente que ali estava abrincar, não sendo este um tema para brincar, mas li algures que há por aí um movimento que pretende defender os direitos dos vegetais... Enfim. Creio que primeiro deveriam ser tidos em conta os direitos humanos, que por consequência, se aplicados, produziriam efeitos nos direitos dos animais... Não entro na questão das touradas, sou um aficionado, e assim como respeito quem não gosta, não crio conflitos sobre isso. Não podemos todos gostar do Sporting, senão não existiriam Benfica e Porto....Agora que há questões pertinentes, que podem afectar diretamente o ser humano, como a aplicação de antibióticos na alimentação animal, condições precárias de criação e transporte de animais, abandono de animais de estimação, etc, que merecem uma boa reflexão, não haja dúvidas que há...
André Martins

Torres Vedras é uma terra privilegiada. Pena é os privilégios não serem para todos...

Offline Tipo

  • Jr. Member
  • **
  • Mensagens: 66
  • Popularidade: +0/-0
    • Ver Perfil
Re:Debate sobre Direitos dos Animais - 26 de Março
« Responder #18 em: Março 04, 2011, 21:33:54 »
Os Animais

Eis um assunto a que eu  sou particularmente sensivel

Algumas perguntas ao (BE)


Qual  a vossa integração com a região?

Terão os residentes alguma coisa a ganhar, para a vida dos animais ser  valorizada?

Almoços, Pasteis, Vinho, Reuniões...

Não?

Então esqueçam, porque então têm de recuar pelo menos 20 anos na melhor das hipóteses....

E um partido moderno não recua, nunca no prorio pais...







Offline Isabel Cardana

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 12
  • Popularidade: +0/-0
    • Ver Perfil
Re:Debate sobre Direitos dos Animais - 26 de Março
« Responder #19 em: Março 06, 2011, 18:18:03 »
Boa tarde.

Peço desculpa mas não entendi as suas questões.
Quer reformular?

Obrigada,
Isabel Cardana

Offline Zé do Boné

  • Sr. Member
  • ****
  • Mensagens: 430
  • Popularidade: +0/-0
    • Ver Perfil
Re:Debate sobre Direitos dos Animais - 26 de Março
« Responder #20 em: Março 08, 2011, 17:16:49 »
Realmente, Caro Tipo
Também não percebi nada...
A liberdade de cada um, começa onde acaba a do próximo.

Offline Tipo

  • Jr. Member
  • **
  • Mensagens: 66
  • Popularidade: +0/-0
    • Ver Perfil
Re:Debate sobre Direitos dos Animais - 26 de Março
« Responder #21 em: Março 08, 2011, 17:44:53 »
Boa tarde.

Peço desculpa mas não entendi as suas questões.
Quer reformular?

Obrigada,
Isabel Cardana

Realmente, Caro Tipo
Também não percebi nada...



Reformulando:


Citar
Qual  a vossa integração com a região?

Conhecem antigas tradições que envolviam animais, por exemplo?

Vacadas e pamplonas (festas)
Galo enterrado com a cabeça á vista, morto com pau (festas)
Animais em potes de barro posteriormente partidos á paulada (festas)
Matança de porco (muito comum)
Castração de animais a sangue frio (muito comum)
Caça e pesca desportiva (muito comum)
Atropelamento propositado de animais em estradas (ainda hoje existe)

Ainda bem que já não é assim, embora algumas pessoas pensem nisto como os bons velhos tempos, actualmente vê-se algumas variações para melhor do que era feito antigamente:
http://terrasdeportugal.wikidot.com/tradicoes-de-carmoes



Citar
Terão os residentes alguma coisa a ganhar, para a vida dos animais ser valorizada?
Almoços, Pasteis, Vinho, Reuniões...

Esta é uma ‘’receita’’ de sucesso na região, utilizada de quatro em quatro anos por quem sabe, com o objectivo de ‘’chamar e informar’’ as pessoas.

Porque não usar esta ‘’receita’’ para as ‘’aconselhar’’ a tratar os animais com algum respeito, pelo menos?

Esta receita já tem provas dadas com muito bons resultados(?), por cá…



Citar
Não?
Então esqueçam, porque então têm de recuar pelo menos 20 anos na melhor das hipóteses....
E um partido moderno não recua, nunca no prorio pais...

Aqui é apenas uma opinião muito pessoal…





Já agora algo que me faz uma certa confusão:

Porque se fala tanto nos direitos dos animais?

O que fazem os animais com os seus supostos direitos?


(…) Não há semelhante coisa como nascer com direitos.

Ninguém nasce com direitos.

Os direitos são atribuídos pela sociedade com base em determinados parâmetros que vão sendo alterados com o tempo e o grau de civilização.
 
No fundo não são os animais que tem direitos, mas sim a espécie humana que tem DEVERES em relação aos mesmos! (…)


Enquanto não resolvermos os nossos próprios problemas (humanos), como poderemos resolver os problemas dos animais …


Offline Isabel Cardana

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 12
  • Popularidade: +0/-0
    • Ver Perfil
Re:Debate sobre Direitos dos Animais - 26 de Março
« Responder #22 em: Março 08, 2011, 18:56:05 »
Começando pelo fim, respondo-lhe com as suas próprias palavras:
"Os direitos são atribuídos pela sociedade com base em determinados parâmetros que vão sendo alterados com o tempo e o grau de civilização."

Estou de acordo com o facto de sermos nós, animais humanos, quem - em primeira instância - tem de ter deveres perante os animais não-humanos. E temos mas não os cumprimos. A lei existe e não é aplicada. Enquanto não lhes forem reconhecidos direitos (na qualidade de animais que são e não de pessoas, entenda-se), continuarão a ter a dignidade de um objecto e isso não chega, obviamente.

Quanto à "integração com a região" e às tradições que existiam antigamente, desculpe que lhe diga mas não me importam as tradições que existiam. O que importa é o que ainda existe.

Enquanto houver um cão preso a um barracão isolado, dia após dia, sem as mínimas condições de dignidade, apenas para que o seu proprietário fique descansado com os ladrões, não estou contente.

Enquanto o gado vivo continuar a ser transportado como se fosse baldes de lixo, não estou contente.

Enquanto os animais continuarem a ser objectos, meros produtos para comercializar, exibir e descartar, não estou contente.

Enquanto os animais abandonados e errantes forem recolhidos pelas autarquias para serem abatidos, sem que sejam aplicadas (em vez do abate) quaisquer medidas de controlo da população (esterilização), recuperação (tratamento veterinário de animais que estão doentes) e reintegração (campanhas de adopção responsável), não estou contente.

Finalmente, não me parece que seja com caldo verde e pasteis de feijão que se mudam comportamentos. Nem sequer é só com isso que se obtêm votos.

Muito obrigada.
Isabel Cardana
« Última modificação: Março 08, 2011, 18:56:54 por Isabel Cardana »

Offline Tipo

  • Jr. Member
  • **
  • Mensagens: 66
  • Popularidade: +0/-0
    • Ver Perfil
Re:Debate sobre Direitos dos Animais - 26 de Março
« Responder #23 em: Março 10, 2011, 21:45:37 »
Começando pelo fim, respondo-lhe com as suas próprias palavras:
"Os direitos são atribuídos pela sociedade com base em determinados parâmetros que vão sendo alterados com o tempo e o grau de civilização."
Na minha opinião a frase faz muito mais sentido na outra forma…

Serão ou poderão ser iguais os direitos de diferentes animais como um cão e um lobo ou um réptil ou mesmo um peixe?

Será que um animal domestico tem mais direitos que um selvagem?

Onde começam e acabam os direitos dos animais?


Estou de acordo com o facto de sermos nós, animais humanos, quem - em primeira instância - tem de ter deveres perante os animais não-humanos. E temos mas não os cumprimos. A lei existe e não é aplicada. Enquanto não lhes forem reconhecidos direitos (na qualidade de animais que são e não de pessoas, entenda-se), continuarão a ter a dignidade de um objecto e isso não chega, obviamente.
As pessoas terem deveres para com os animais, a meu ver será por aí, mas se essa lei já existe porque não é aplicada?

Uma pequena correcção se me permite:
Para muitos, (na sociedade presente que interessa) alguns objectos são mais importantes até do que pessoas, para esses a dignidade e o respeito são secundários e desprezíveis…


Quanto à "integração com a região" e às tradições que existiam antigamente, desculpe que lhe diga mas não me importam as tradições que existiam. O que importa é o que ainda existe

Uma coisa está ligada á outra, sem uma não conseguirá compreender a outra.

As tradições alem de outros factores servem para conhecermos o passado e a cultura de um local ou região, para conhecer a mentalidade e costumes...

E a mentalidade e costumes que ainda hoje existem com animais, a nível domestico e não só, não apareceu agora… se é que me compreende…


Enquanto houver um cão preso a um barracão isolado, dia após dia, sem as mínimas condições de dignidade, apenas para que o seu proprietário fique descansado com os ladrões, não estou contente.
Já vi pelo menos um morrer á fome nessas circunstâncias, fiquei com aquela sensação que é uma mistura de pena, impotência e ódio...

Experiencia longa e aterradora.

Falando do que interessa, o presente, eis a resposta que recebi do outro animal:
‘’Tanta coisa para quê? É só um cão e não vale o que come!’’


Enquanto o gado vivo continuar a ser transportado como se fosse baldes de lixo, não estou contente.
Desconcertantes as condições no caso dos bovinos, suínos e aves… até pelo cheiro...


Enquanto os animais continuarem a ser objectos, meros produtos para comercializar, exibir e descartar, não estou contente.
Será a tal mentalidade que ainda (hoje no presente que interessa) existe em muito boa gente que, digamos, é civilizadamente europeia no século XXI...


Enquanto os animais abandonados e errantes forem recolhidos pelas autarquias para serem abatidos, sem que sejam aplicadas (em vez do abate) quaisquer medidas de controlo da população (esterilização), recuperação (tratamento veterinário de animais que estão doentes) e reintegração (campanhas de adopção responsável), não estou contente.
Aqui é mais complicado, o dinheiro não chega para tudo e a autarquia fecha os olhos, até porque a maior parte das pessoas nem se interessa por isso... estamos a falar de cães vadios, alguns perigosos para as pessoas, com direito… a serem mortos.

Como se os cães fossem o problema e não uma consequência …


Finalmente, não me parece que seja com caldo verde e pasteis de feijão que se mudam comportamentos. Nem sequer é só com isso que se obtêm votos.
Talvez não devesse ser assim... mas lá está, em outros sítios não sei, aqui é 100% eficaz...

Se essa ‘’tradição’’ é utilizada com total sucesso para manter ‘‘certos’’ comportamentos, não seria má ideia utilizá-la para mudar outros.



Estou solidário com a vossa nobre causa porque os animais devem ser mais do que apoiados, nesta altura devem ser defendidos.

Perdoe-me a franqueza mas prevejo, com muita pena minha (mais) um ‘’falhanço’’… espero sinceramente estar enganado.

Na actual situação social em que a maioria das pessoas não sabe o que fazer para sobreviver e existindo uma longa tradição não muito ‘’saudável’’ com os animais, como podem sequer pensar nos mesmos…

Não virá o verdadeiro problema entre as pessoas e os animais muito de trás?

De qualquer forma é preciso falar nos animais, bem ou mal, mas falar!

Boa sorte no vosso projecto, vão precisar dela…

.






Offline Isabel Cardana

  • Newbie
  • *
  • Mensagens: 12
  • Popularidade: +0/-0
    • Ver Perfil
Re:Debate sobre Direitos dos Animais - 26 de Março
« Responder #24 em: Março 11, 2011, 00:22:45 »
Tipo, muito obrigada pelos seus comentários.

Muito rapidamente, quanto às questões que levanta (Serão ou poderão ser iguais os direitos de diferentes animais como um cão e um lobo ou um réptil ou mesmo um peixe? Será que um animal domestico tem mais direitos que um selvagem? Onde começam e acabam os direitos dos animais?), a minha opinião pessoal é que quando falamos de direitos dos animais não podemos atribuir mais ou menos valor a uma ou outra espécie; o que podemos dizer é que todos têm direito a uma vida digna de acordo com os hábitos e comportamentos da sua espécie, de acordo com os parâmetros biológicos e sociais dessa espécie.

Quando eu digo que "os direitos dos animais são tão importantes como os direitos humanos" não quero dizer que os animais devem ter os mesmos direitos que nós. Quero dizer que - para mim - lutar pelos direitos deles (enquanto animais!) merece tanto empenho e tem tanto valor como a luta pelos direitos humanos.

Quanto à não aplicação da lei. Porque é que não é aplicada?
Porque as pessoas não denunciam as situações de maus tratos a que assistem (e têm de ser as pessoas a denunciar porque que eu saiba os animais ainda não usam telemóveis) e também porque quem fiscaliza a aplicação da lei também diz o mesmo do que esse senhor que deixou o cão morrer à fome. Vão chatear-se com isso para quê? Afinal é só um cão.

Há ainda outro problema associado aos animais de companhia: o sistema de identificação que existe actualmente não funciona e tem muitas falhas quando se trata de identificar os proprietários/infractores.

Quanto às soluções escolhidas pelas autarquias para o controlo da população de animais errantes (optando pelo abate em vez da esterilização), o que oiço dizer em todo o lado é que o abate com Eutasil (a única substância autorizada pela DGV para o abate de animais por ser eficaz, rápida e sem sofrimento para o animal) custa muito mais do dobro de uma esterilização. O que me leva a concluir uma de duas: ou as câmaras não sabem fazer contas ou andam a usar "substâncias mais baratas" para abater animais.

Como se vê, alguns animais precisam de uma ajudinha dos humanos para viver com mais dignidade.

Finalmente, é a primeira vez que o Bloco de Esquerda está a pegar neste assunto em Torres Vedras.
Da minha parte espero que as pessoas adiram ao debate e que saiam de lá com mais ferramentas para reflectir sobre o assunto. Se for um falhanço, cá estamos para o assumir e para fazer a nossa análise desse falhanço.

Boa noite,
Isabel